sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Capitulo 4 - O Guerreiro Prateado e o Dragão Flamejante




Capitulo 4
O Guerreiro Prateado e o Dragão Flamejante




Os dentes afiados do lobo negro fincaram na carne do ombro de Yahiko, o garoto gritou de dor, as presas do animal pareciam queimar, tudo foi escurecendo, suas vistas ficando turvas, suas forças se esvaindo. O desespero tomando conta enquanto sentia sua carne ser estilhaçada pelo lobo, seu braço iria ser arrancado se não fizesse algo, mas não tinha forças para pegar a adaga, para empurras o enorme animal ou para contra atacar, estava preso pelas raízes que apertavam cada vez mais, não tinha saída.

- Posso saber o que um garoto como você faz sozinho nessa floresta? – Uma voz grave e áspera encheu o ar - Acho que você acabou de perceber isso... Mas aqui não é lugar para brincadeira de criança!

Yahiko abriu os olhos com dificuldade e olhou a sua volta, não pode ver quase nada pelo fato de suas vistas estarem escuras pela dor causada pelas presas do grande animal que ainda se fincavam violentamente em sua carne. A única coisa que pode ver foi um vulto envolto em uma enorme capa negra, usando algo na cabeça, o que parecia ser um chapéu de palha. E então, tudo novamente voltou a ficar totalmente escuro, e ele perdeu a consciência.

- Ah, está acordado? Nossa, aquilo foi um grande azar, ser atacado por um Nuts enquanto a as raízes te prendiam... Por pouco você não morre!

- Do que está falando? Quem é você? – Yahiko perguntou confuso, abriu os olhos, ainda não enxergava quase nada, nem tinha forças para se levantar.

- Ah sim... Não se lembra não é mesmo? Bom, eu podia esperar que isso fosse acontecer, você é um garoto azarado – disse a voz áspera e grave mais alta que antes– Mas não se preocupe, aos poucos você irá recuperar os sentidos.

- Eu... O que era aquela coisa? – Yahiko indagou se lembrando vagamente de um enorme lobo negro o atacando – Digo... aquele lobo gigante?

- Não são simples lobos gigantes... Tem algo de mais anormal neles do que o tamanho exagerado – Voltou a escutar a mesma voz dizendo, agora mais próxima que antes, como se estivesse ao seu lado – Eles o mordem não para te despedaçar... só fazem isso para te deixar fraco o suficiente para atacarem seu espirito, essas bestas se alimentam de almas... Sugam toda sua força física primeiro, e depois, pouco a pouco vão sugando seu espirito, deixando apenas um corpo vazio. Aqui... Coma isso.

Yahiko fez força para se assentar e tentou abrir os olhos, apenas vultos mais uma vez, parecia estar em outra parte da floresta, sentado sobre um grande tronco de árvore, a poucos metros o mesmo vulto de antes, parecia ser um homem, envolto em uma capa negra, agora, sem o chapéu de palha, com os grandes cabelos negros soltos, ondulando com o vento, tinha aparência de um jovem, mas o olhar solene de alguém muito sábio. O homem estava lhe estendendo a mão com o que parecia ser uma fruta, o garoto estafa fraco demais, pegou-a da mão do homem apressadamente e começou a comer.

- O que você fez com aquele animal? – Indagou

- Eu o matei – O homem respondeu sorrindo.

O garoto o olhou paralisado por um instante, pensando na força destruidora do lobo, o homem estava sem nenhum arranhão ou sequer sinal de cansaço, devia ser muito forte.

- Quem é você? – Voltou a indagar em tom de surpresa e admiração

- Desculpe... Mas não vou responder... Não posso lhe dizer quem eu sou. E aliais... Quem faz as perguntas aqui sou eu – Respondeu calmamente e se sentou mais próximo do garoto – Essa floresta é um lugar muito perigoso, assolado por monstros e espíritos malignos, sem contar os ladrões e assassinos que se escondem por aqui... A pergunta é, o que um garoto fraco e despreparado como você está fazendo em um lugar como esse? 

- Não sou fraco! – Yahiko disse indignado

- Não foi o que percebi – Retrucou o homem no mesmo tom calmo – Vamos, responda minhas perguntas, é o mínimo que você pode fazer, afinal, salvei sua vida.

- É um assunto meu... - O garoto respondeu, o homem estava certo, era o mínimo que ele podia fazer, e que mal tinha nisso? O Homem até poderia ajuda-lo – Estou à procura do vale dos ossos verdes.

- Sério que você está à procura dessa lenda? – O homem disse depois de uma gargalhada escarnecedora – Bem... Por quê?

- Não acho que seja uma simples lenda – Yahiko respondeu – Meu avô... Ele me contou sobre o Vale, ele acreditava, queria o encontrar... E agora, ele morreu... Bom, eu acho que ele morreu, sai antes disso, ele estava muito doente, não queria o ver morrendo... Mas, eu vou encontrar todas as pedras, e então vou abrir a passagem para o vale, e vou realizar um desejo... Vou trazer minha mãe e meu avô de volta do mundo dos mortos.

- Entendo... Bom, eu também estou à procura do vale dos ossos verdes... Muitos estão, mesmo que talvez seja uma simples lenda – Disse sorrindo.

- Ah, porque você quer encontrar o Vale? – Yahiko perguntou sorrindo

- Não posso te dizer... Mas Deixe eu te contar uma coisa sobre as pessoas que estão a procura do Vale... Elas vão fazer qualquer coisa para que sejam as únicas a alcançarem seus objetivos... Principalmente eu.

- O que quer dizer com isso?

- Ah... te confundi? – O homem perguntou calmamente, e se levantou, abriu a grande capa negra revelando por baixo estar vestido em uma imponente armadura prateada, com um cinturão de ouro e uma espada embainhada em uma bainha do mesmo ouro do cinturão, sua mão que também estava envolta em uma luva do mesmo metal prateado da armadura segurou firmemente o cabo da espada e a puxou revelando a lamina brilhante que parecia queimar – Sinto muito meu jovem... Mas vou lhe poupar de todo esse sofrimento, você vai ter que morrer!

- Mo-Morrer? – Yahiko gaguejou se arrastando para trás, ainda não tinha forças para levantar  - Você salvou minha vida a pouco tempo... porque quer me matar agora??

- Oh... me desculpe, você tem razão, eu devia ter te deixado morrer – O homem disse como se aquilo não fosse importante e continuou com a espada apontada para o garoto – Sem duvida eu teria feito isso se soubesse antes que você está indo a procura do Vale Dos Ossos Verdes...

- Por que? Porque quer me matar só por causa desse vale? - Indagou desesperado

- O que tem lá não pode cair nas mãos de mais de uma pessoa... – Ele disse sorrindo - Entenda, é uma coisa única, feita somente para um escolhido... Se outro colocar as mãos na relíquia ela será corrompida novamente, e todo o ódio acumulado ira se espalhar para o mundo!

- Não foi isso que me contaram...

- Oh, existem muitas faces dessa lenda, mas acredite, somente uma é verdadeira... Ninguém sabe qual – O sorriso estampado em seu rosto se tornava cada vez mais sombrio – Mas todos defendem seus motivos egoístas com suas vidas, e para preservar essas vidas tiram outras... É um vicio psicológico que todos nós temos. Eu acredito nos meus motivos... Não, eu sei que é o verdadeiro, e só eu posso alcançar o que está, por isso... Vou matar todos que também queiram chegar até O Vale Dos Ossos Verdes.

- Você, é louco! – Gritou Yahiko

- Eu? Louco? – Disse gargalhando – Deixe-me esclarecer uma coisa pra você, se outra pessoa chegar antes que você no vale e pegar a pedra, pode esquecer essa sua fantasia de ressuscitar sua mãe e seu avô! Você também iria matar todos para alcançar seus objetivos, por mais nobre que julgue ser esse seu sentimento, ele é podre como de todos que estão a trás dessa lenda!

As árvores altas tomaram um ar mais assustador depois dessas palavras, o coração do garoto pesou, era verdade... Ele tiraria a vida de alguém para trazer de volta seu avô e sua mãe, isso não o fazia melhor que o homem na armadura prateada, não o fazia melhor que ninguém.

- Bom, chega de explicações... Até porque é aqui que você dá “adeus” ao mundo e “olá” aos seus queridos mortos! Hahahahaha!

Os olhos do garoto estavam arregalados, a respiração ofegante fazia o peito levantar e abaixar rapidamente, o desespero tomava conta de sua mente, viu a grande espada flamejante levantar acima de sua cabeça e descer tão rápido que não pode acompanhar com os olhos o que aconteceu.

Em apenas um piscar de olhos a lamina que vinha em sua direção em uma velocidade e força extraordinária foi bloqueada por uma garra grande e de um dourado brilhante, Yahiko olhou assustado ao ver que a garra pertencia ao braço de um dragão que tinha as escamas de um dourado mais puro e brilhante que as garras, porem o braço não estava ligado a um dragão e sim a um garoto, mirrado e alto, de cabelos louros e com os olhos azuis tomados por arrogância que se refletia também em seu sorriso atrevido.

- Seu inútil, ia ser morto por um simples golpe de espada? – Milon disse e com um só movimento jogou a espada do homem para longe – Sinceramente Yahiko... esperava mais de você!

- Milon?! – Yahiko estava perplexo – O que está fazendo aqui?

- Vim te procurar, oras! – Milon respondeu e fechou o punho do seu braço transformado em dragão – Pelo visto você está em apuros, todo machucado e quase foi cortado por uma espada... Sinceramente, o que você tem na cabeça para vir até essa floresta sozinho?

- Ora, ora, mas que interessante! Agora são dois para eu matar! – Disse o homem, agora com certa fúria no olhar – Não vou poupar a vida de ninguém que entre no meu caminho!

- Então venha me matar! – Milon retrucou, esticou seu braço na forma de dragão e ele começou a diminuir significativamente, retornando pouco a pouco a sua cor original, as garras se recolhendo e as escamas sumindo – Tente, se puder!

- Não está se achando demais garotinho? – riu o homem na armadura prateada – Como se um grande guerreiro como eu fosse ter dificuldade para matar um simples garoto!

- Vou te fazer engolir essas palavras!

E o ruído assustador novamente começou a tomar conta da floresta ao redor dos três, as árvores movendo suas raízes violentamente, pressentindo o momento hostil que se aproximava, se alimentando dessa energia.

Estavam a poucos metros um do outro, Yahiko ainda estava caído perto de um tronco de árvore, olhava aparvalhado. O guerreiro na armadura prateada empunhou sua espada e correu em direção ao garoto louro, se impulsionou em um salto, moveu sua espada ameaçadoramente, queria decepar a cabeça de Milon com um único golpe, este também deu um salto ficando cara a cara com o homem, um olhar fixo. Os golpes começaram a ser desferidos e bloqueados rapidamente, socos chutes e golpes de espadas por parte do Guerreiro na armadura prateada, todos estes muito bem desviados por Milon. O desferiu um chute fazendo uma rotação para pegar mais força, na direção do peito protegido pela armadura. O guerreiro segurou a perna do garoto e o arremessou para o solo, Milon caiu de costas, não teve tempo para se mover, pois o homem já vinha caindo em sua direção com a espada apontada diretamente para seu peito.

- Milon! – Gritou Yahiko que assistia tudo sem poder ao menos se mexer, a ferida de seu ombro queimava, e seu corpo, parecia estar desprovido de força física. Olhou para Milon e por um instante viu o garoto dar um daqueles sorrisos de desprezo.

Em seguida Milon escancarou a boca e soltou um grito que mais parecia um rugido, seu peito arquejou e junto com o som selvagem que saia de sua boca a chama de um fogo vivo e agressivo começou a se formar e sair de sua boca enquanto tomava a forma de um dragão em chamas indo na direção do guerreiro e o envolvendo completamente em seu corpo flamejante.

- Dragão flamejante! – Milon gritou e estendeu sua mão na direção do dragão de fogo que envolvia o corpo do homem que gritava enquanto tinha seu corpo queimado e fechou o punho, no mesmo instante o dragão se apertou mais em volta do homem e brilhou com toda a intensidade enquanto suas chamas eram aumentadas ao máximo – Morra!



---------------------------------------- Continua *~*------------------------------------------

Desenho ficou feio e.e

3 comentários:

*0* Essa história cada vez mais fica legal!! *-------*
e o desenho ficou bom!! *-*

Ops, escrevi errado: INDIQUEI seu blog lá naquele link

Indique seu blog aqui: http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20120101102508AA66TJ4 n sei pq sempre lembro dele kkkk' mt tempo que nao falo contigo, parei de entrar no twitter :/ bjoos

Postar um comentário